21 Julho 2017
pt | en Contactos | Mapa do Site
Página Inicial > Concelho do Funchal > Caracterização > Freguesias > Sé
Freguesia da Sé Versão para impressão Enviar por E-mail
Breve Enquadramento Histórico
A freguesia da Sé, inicialmente conhecida por Santa Maria Maior, foi a sucessora da primeira freguesia do Funchal, instalada com a chegada dos primeiros povoadores. O rei D. Manuel havia acedido a um pedido dos habitantes para a construção de uma igreja maior, dado que a pequena igreja construída junto ao calhau da praia, era já muito acanhada para a população.
O rei aproveitou então para reformular a vila, oferecendo o antigo “Campo do Duque” para a construção de um centro político e administrativo, demarcado em 1486, onde deveriam ser levantados os Paços do Concelho, uma igreja grande e, num largo entre essas duas construção, uma picota, ou pelourinho, símbolo do poder municipal.
O pelourinho veio logo no ano de 1486, mas foi colocado junto a Nossa Senhora do Calhau, nunca chegando a ser posto no local inicialmente determinado por D. Manuel.
A população, no entanto, assustou-se com o enorme projecto enviado de Lisboa e houve alguma dificuldade em levar a obra adiante. A construção arrancou definitivamente em 1500, sob a orientação do novo vigário frei Nuno Cão, e estava quase pronta em 1508, quando foram benzidas as paredes. Procedeu-se à transferência da freguesia e no mesmo ano a vila do Funchal foi elevada a cidade.
Em breve, a igreja grande era acabada para sé, sede do bispado dos descobrimentos portugueses, instituído em 1514, passando o vigário frei Nuno Cão a deão da nova Sé.
Em 1558, dado o crescimento da cidade, era reinstalada a freguesia de Santa Maria Maior, com os terrenos para Oriente da Ribeira de João Gomes, quase como a conhecemos hoje. Progressivamente, com o aumento da população, foram sendo criadas outras freguesias dentro dos terrenos da inicial freguesia da Sé, o que nem sempre agradou ao cabido, como aconteceu em 1566 quando foi instalada a freguesia de São Pedro, cuja duração foi efémera. Mas as dimensões da cidade e a sua população não paravam de aumentar. Consequentemente foram criadas as freguesias rurais de São Roque e São Martinho e reinstalada a de São Pedro. Mais tarde haveria de surgir a freguesia de Santa Luzia, e assim sucessivamente.

Breve Enquadramento Histórico

A freguesia da Sé, inicialmente conhecida por Santa Maria Maior, foi a sucessora da primeira freguesia do Funchal, instalada com a chegada dos primeiros povoadores. O rei D. Manuel havia acedido a um pedido dos habitantes para a construção de uma igreja maior, dado que a pequena igreja construída junto ao calhau da praia, era já muito acanhada para a população.

O rei aproveitou então para reformular a vila, oferecendo o antigo “Campo do Duque” para a construção de um centro político e administrativo, demarcado em 1486, onde deveriam ser levantados os Paços do Concelho, uma igreja grande e, num largo entre essas duas construção, uma picota, ou pelourinho, símbolo do poder municipal.

O pelourinho veio logo no ano de 1486, mas foi colocado junto a Nossa Senhora do Calhau, nunca chegando a ser posto no local inicialmente determinado por D. Manuel.

A população, no entanto, assustou-se com o enorme projecto enviado de Lisboa e houve alguma dificuldade em levar a obra adiante. A construção arrancou definitivamente em 1500, sob a orientação do novo vigário frei Nuno Cão, e estava quase pronta em 1508, quando foram benzidas as paredes. Procedeu-se à transferência da freguesia e no mesmo ano a vila do Funchal foi elevada a cidade.

Em breve, a igreja grande era acabada para sé, sede do bispado dos descobrimentos portugueses, instituído em 1514, passando o vigário frei Nuno Cão a deão da nova Sé.

Em 1558, dado o crescimento da cidade, era reinstalada a freguesia de Santa Maria Maior, com os terrenos para Oriente da Ribeira de João Gomes, quase como a conhecemos hoje. Progressivamente, com o aumento da população, foram sendo criadas outras freguesias dentro dos terrenos da inicial freguesia da Sé, o que nem sempre agradou ao cabido, como aconteceu em 1566 quando foi instalada a freguesia de São Pedro, cuja duração foi efémera. Mas as dimensões da cidade e a sua população não paravam de aumentar. Consequentemente foram criadas as freguesias rurais de São Roque e São Martinho e reinstalada a de São Pedro. Mais tarde haveria de surgir a freguesia de Santa Luzia, e assim sucessivamente.

 

Mais informação sobre a Junta de Freguesia

 

Demografia e Habitação

 

Pop. Residente, Presente, Famílias, Alojamentos e Edifícios na Freg. da Sé em 2001 e 2011
1-Quadro
Fonte: INE, Recenseamento Geral da População e Habitação 2001 (Res. Definitivos) e 2011 (Res. Provisórios)

Finalmente, na freguesia da Sé, as variações da população residente ocorridas nesta década, denunciam uma considerável atractividade ao centro da cidade, com mais 23,6% da população que aqui residia em 2001, o que significa um acréscimo de 508 pessoas.

O número de famílias também aumentou significativamente, situando-se nos 49,3%, contudo é interessante verificar-se que é nesta freguesia que o número médio de pessoas por família é mais baixo, rondando as 2,2 pessoas.

Variação da População Residente na Sé entre 2001 e 2011
Se
Fonte: INE, Recenseamento Geral da População e Habitação 2001 (Res. Definitivos) e 2011 (Res. Provisórios)

 A freguesia da Sé foi a única que nestes dez anos sofreu um decréscimo do número de edifícios, contabilizando-se menos treze. O número de alojamentos, por seu turno, aumentou em mais 50,8% dos existentes em 2001.

 Variação da Pop. Residente, Presente, Famílias, Alojamentos e Edifícios 2001-2011 (%)
2-Quadro
Fonte: INE, Recenseamento Geral da População e Habitação 2001 (Res. Definitivos) e 2011 (Res. Provisórios)

 

 

 

 

 

 
Mapa do Site | Sugestões | Condições de utilização | Privacidade | © 2017, Municipio do Funchal Facebook | Twitter | RSS